Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LA in my heart ♥

03
Mar17

Let's Talk About Serious Stuff #6

 Olá Layers, 

 

Parece que foi ontem que vim aqui, mas já faz algum tempinho. Este vídeo deixa-me um pouco revoltada, especialmente pela falta de humanidade que os bullies mostraram para com este miúdo. Quando somos crianças não temos muito bem noção das coisas, mas acho que já há que ter noção do que é certo ou errado, e também do que vai afectar outra pessoa ou não. E também me impressiona que pessoas com 16 anos ou menos já tenham pensamentos suícidas. Não que os julgue, mas faz-me impressão porque ainda têm tanto para viver e a vida deles ainda podia dar tantas voltas. E há experiências pelas quais nunca vão passar. Imagino se fosse um filho meu... Acho que nunca mais voltaria a ficar bem! E o pior é que agora parece que é uma coisa que acontece todos os dias e que as notícias nem divulgam assim tanto. Não sei mesmo o que se anda a passar com o Mundo! 

 

 

19
Fev17

Let's talk about serious stuff #5

 

Olá Layers, 

Vi este vídeo há uns minutos e obviamente não pude deixar de me emocionar. Essencialmente, porque acho que todos nós já soubemos o que é estar no mesmo lugar em que esta miúda está. Ser traído, seja em que tipo de relação for, dói e é algo que não é fácil de ultrapassar. Quando uma relação se torna tóxica, é inevitável que o seu fim esteja perto. Para mim, o primeiro passo para ultrapassar isso é, aceitar que tu não podias ter feito mais, não podias ter dado mais de ti, não podias ter te preocupado mais. E isto, é exactamente o que ele lhe diz, ter isso reconhecido é pelo menos um pequeno consolo no meio da imensidão que é a dor que sentes. O segundo passo, é perdoar a pessoa, não importa o quão te tenha magoado, apenas guardar rancor de uma pessoa que foi tanto na tua vida, não me cabe na cabeça. Provavelmente essa pessoa não irá pensar assim, porque de uma relação nunca há só um lado da história, há três. O teu, o dele e a verdade! E saiem sempre as duas partes magoadas e com marcas disso. Para mim, é simplesmente triste que 'se cuspa para um prato onde já se comeu' e é tão libertador quando já não tens de odiar uma pessoa pelo que ela fez. É nesse instante que percebes que começaste a superar a dor e aquilo que a pessoa te fez. Se a pessoa te fez mal, provavelmente o karma irá encarregar-se dessa pessoa (já vi muita gente a ser f** por ele) e tu nem precisas de mexer uma palha ou sequer pensar nisso. Deseja a felicidade do outro e, simplesmente, vive a tua vida, porque a pessoa certa um dia irá cair na tua vida de pára-quedas. E essa mesma pessoa, vai apagar todas as mágoas e incertezas, e fazer-te a pessoa mais feliz do mundo! (ou pelo menos, é nisso que eu acredito). 

 

 

 

 

22
Out15

Let's talk about serious stuff #1

Eu sei que este é um assunto cliché, mas apeteceu-me falar sobre isto e saber a vossa opinião uma vez que este verão estive bastante em contacto com esta questão de gravidez e aborto! (calma que não passei por nenhuma dessas coisas, felizmente) Como sabem, estas semanas nas minhas aulas de inglês têm havido apresentações orais. Uma rapariga decidiu falar sobre o aborto, sempre aquele assunto bastante mediático porque há quem aceite e há quem não aceite, depois vem a questão da religião e blá blá. A minha colega defendeu que estava de acordo com o aborto apenas em alguns casos como por exemplo: a gravidez ter resultado de uma violação, o feto estar com deficiências graves ou não ter quaisquer meios para sustentar o bebé. Até aqui tudo bem! Depois disse que nos casos em que não concorda é porque acha que devemos levar com as consequências dos nossos actos e que, se realmente não quiserem o bebé, sempre o podemos dar para adopção. Aqui vai a minha opinião: Eu sou a favor do aborto, pelo simples facto de que me imagino nessa situação. E se eu tivesse nessa situação, agora com 21 anos, faria o aborto porque não tenho condições nenhumas para ser mãe para além de que iria deixar o meu curso a meio e acabaria com os meus sonhos para sempre. No entanto, não concordo com uma coisa que ela disse que é a parte da adopção! Eu sei que pode ser um pensamento egoísta, mas eu acho que é muito mais "fácil" fazer um aborto do que levar uma gravidez até ao fim em que se cria uma ligação emocional entre mãe e filho e depois ter de se "desfazer" do bebé, que é parte dessa pessoa. Eu digo com sinceridade, era capaz de fazer um aborto, apesar de saber que isso provavelmente sempre me iria pesar na consciência, mas dar um filho para adopção, não conseguia... Não recriminando quem o faz porque sem dúvida que se não se tem condições para o criar, muita gente dá os filhos para a adopção com intenção de que eles tenham um futuro melhor e melhores condições de vida. Eu simplesmente não o conseguiria fazer! Vá, digam-me da vossa justiça?!

 

assinatura blog.png